Dieta pode prevenir a doença de Alzheimer?

Antes de responder à essa pergunta irei comentar sobre um estudo realizado na cidade de Nova York, E.U.A. no ano de 2010. Os pesquisadores da Universidade de Columbia acompanharam 2148 idosos com idade igual ou superior à 65 anos e ausência de demência.

Todos os participantes foram orientados à seguinte dieta: Aumentar o consumo de carnes brancas (como peixes e frango), saladas, nozes, tomates e frutas e redução do consumo de carne vermelha e derivados de leite ricos em gordura (leite integral, creme de leite, manteiga).

Os idosos foram acompanhados por 3 anos e 9 meses e avaliados através de uma bateria cognitiva (testes feitos na consulta médica que incluem perguntas, desenhos e escrita e avaliam todos os componentes da memória). No final do estudo 253 participantes desenvolveram doença de Alzheimer (esse dado é esperado quando acompanhamos uma população durante anos, é natural que muitos participantes desenvolvam doenças).

No entanto, comparando o tercil com maior adesão à dieta recomendada com o tercil com menor adesão à dieta, o risco para desenvolver doença de Alzheimer foi de 0,62, ou seja, a dieta levou a uma redução da chance de desenvolver a doença de 38%.

Agora que analisamos este estudo comentarei algumas considerações:

•A dieta saudável, rica em carne branca, saladas, frutas e nozes reduz sim o risco de desenvolver a doença de Alzheimer, apenas devemos lembrar que a reduzir um risco não é igual a impedir que algo aconteça, ou seja, mesmo com uma dieta saudável é possível desenvolver a doença.

•Existem situações específicas que não se enquadram no padrão de dieta pesquisado nesse estudo. Caso existam dúvidas, busque o atendimento médico.

Fonte: Arch Neurol. 2010;67(6):699-706