A prevalência de depressão aumenta muito com o envelhecimento, afetando cerca de 15% das pessoas com mais de 65 anos de idade. Algumas mudanças que ocorrem com o envelhecimento são responsáveis pelo aumento do risco de desenvolver depressão, entre essas mudanças podemos citar:

A aposentadoria, que pode levar ao isolamento social e, algumas vezes, à queda do poder aquisitivo. A perda de entes queridos que ao envelhecer acabam um dia saindo de casa ou falecendo.As doenças que começam a aparecer e que podem causar sintomas incômodos.

No entanto, a associação entre envelhecimento e depressão não é inevitável e para isso são importantes algumas dicas:

Entender que velhice pode ser uma coisa boa, afinal estamos vencendo diversos desafios da vida, como doenças e acidentes.Sentimentos como saudade e tristeza também fazem parte da vida, mas não devem dominá-la, ou seja, a vida continua e devemos continuar sentido vontade de realizar atividades prazerosas.Não ficar sem fazer nada em casa, busque atividades de lazer, aprenda coisas novas, trabalho voluntário. Pense no que gostava de fazer quando mais novo e tente retomar essas atividades.Caso apresente sintomas como alteração do sono, falta de vontade em realizar qualquer coisa, sentimento de que a vida ficou "sem graça", procure o serviço médico. Reconhecer a doença depressão é fundamental e contamos hoje com ótimos tratamentos.

Por último, um recado para os mais novos:

Lembre-se de respeitar os mais velhos, pois, se você tiver a mesma sorte, também irá envelhecer.